quinta-feira, 16 de Dezembro de 2010

Alteração de Conteúdo

Caros cibernautas, penso que chegou o momento de viragem, de passar a falar mais e de assuntos diferentes.
Não há dúvida que o futebol é algo apaixonante, tal como os restantes desportos, mas há algo que mexe mais com o nosso ser (entranhas) que a paixão, e esse sentimento é a revolta é a angustia é a falta de luz na linha do horizonte.
Felizmente estou no meu local de trabalho, e desde já peço desculpa ao meu Patrão (que eu prezo bastante) por estes 5 min que estou a dedicar-me a transmitir o estado da nação e do mundo.
Depois de muitos meses a pensar na crise económica e na nossa conjectura social (enfim, do mundo), decidi que esta via seria a primeira para tentar "abrir as pestanas" a todos nós, que diariamente criticamos o país, mas que nenhuma acção tomamos para mudar. É um facto que eu (como a grande ínfima parte da classe trabalhadora) paga os seus impostos, produzo com o meu trabalho, consumo com o meu ordenado, ou seja, contribuo para a NOSSA SOCIEDADE, mas sinto que falta a contribuição ideologia, a que se identifica com os ideais e com os fundamentos sócio-económicos, esta é nula, porque não as exponho nem luto por elas, é óbvio que as vivo que as aplico na minha vida, mas não "combato" contra aqueles que as querem derrubar e tornar-nos escravos do seu egocentrismo.
Esta é a minha primeira batalha, chegar a vós com uma mensagem de que juntos conseguimos tornar o nosso país melhor, mais justo e sobre tudo mais produtivo, através do aumento de eficiência e não de exploração e perdas de tempo (penso que estes 5 min em nada prejudicaram o meu patrão, afinal o trabalho está em dia e o tempo é o de um cigarro, como não fumo...).
Quem despoletou esta batalha foi a crónica de Mário Crespo (Penthouse 10.11.2010) que fala do que os governantes e presidentes das grandes empresas nacionais (goldenshare) nos devem.
Antes de transcrever o seu artigo, pergunto: como temos vivido nos últimos 36 anos?
A resposta é fácil, a vender o que foi nacionalizado, com o dinheiro da Europa em troca de independência e espaço oceânico, para poder alimentar grandes gestores, peço desculpa pela minha adjectivação, de grandes só o salário, porque a sua contribuição para as empresas e para a sociedade é apenas virtual.

Crónica do Mário Crespo - Penthouse 10.11.10

Título: Devem-me dinheiro.

José Sócrates em 2001 prometeu que não ia aumentar os impostos.

E aumentou.

Deve-me dinheiro.

António Mexia da EDP comprou uma sinecura para Manuel Pinho em Nova Iorque.

Deve-me o dinheiro da sinecura de Pinho.

E dos três milhões de bónus que recebeu.

E da taxa da RTP na conta da luz.

Deve-me a mim e a Francisco C. que perdeu este mês um dos quatro empregos de uma loja de ferragens na Ajuda onde eu ia e que fechou.

E perderam-se quatro empregos.

Por causa dos bónus de Mexia.

E da sinecura de Pinho.

E das taxas da RTP.

Aníbal Cavaco Silva e a família devem-me dinheiro.

Pelas acções da SLN que tiveram um lucro pago pelo BPN de 147,5 %.

Num ano. Manuel Dias Loureiro deve-me dinheiro.

Porque comprou por milhões coisas que desapareceram na SLN e o BPN pagou depois.

E eu pago pelo BPN agora.

Logo, eu pago as compras de Dias Loureiro.

E pago pelos 147,5 das acções dos Silva.

Cavaco Silva deve-me muito dinheiro.

Por ter acabado com a minha frota pesqueira em Peniche e Sesimbra e Lagos e Tavira e Viana do Castelo.

Antes, à noite, viam-se milhares de luzes de traineiras.

Agora, no escuro, eu como a Pescanova que chega de Vigo.

Por isso Cavaco deve-me mais robalos do que Godinho alguma vez deu a Vara.

Deve-me por ter vendido a ponte que Salazar me deixou e que eu agora pago à Mota Engil.

António Guterres deve-me dinheiro porque vendeu a EDP.

E agora a EDP compra cursos em Nova Iorque para Manuel Pinho.

E cobra a electricidade mais cara da Europa.

Porque inclui a taxa da RTP para os ordenados e bónus da RTP.

E para o bónus de Mexia.

A PT deve-me dinheiro.

Porque não paga impostos sobre tudo o que ganha.

E eu pago.

Eu e a D. Isabel que vive na Cova da Moura e limpa três escritórios pelo mínimo dos ordenados.

E paga Impostos sobre tudo o que ganha.

E ficou sem abonos de família.

E a PT não paga os impostos que deve e tenta comprar a estação de TV que diz mal do Primeiro-ministro.

Rui Pedro Soares da PT deve-me o dinheiro que usou para pagar a Figo o ménage com Sócrates nas eleições.

E o que gastou a comprar a TVI.

Mário Lino deve-me pelos lixos e robalos de Godinho.

E pelo que pagou pelos estudos de aeroportos onde não se vai voar.

E de comboios em que não se vai andar.

E pelas pontes que projectou e que nunca ligarão nada.

Teixeira dos Santos deve-me dinheiro porque em 2008 me disse que as contas do Estado estavam sãs.

E estavam doentes.

Muito.

E não há cura para as contas deste Estado.

Os jornalistas que têm casas da Câmara devem-me o dinheiro das rendas.

E os arquitectos também.

E os médicos e todos aqueles que deviam pagar rendas e prestações e vivem em casas da Câmara, devem-me dinheiro.

Os que construíram dez estádios de futebol devem-me o custo de dez estádios de futebol.

Os que não trabalham porque não querem e recebem subsídios porque querem, devem-me dinheiro.

Devem-me tanto como os que não pagam renda de casa e deviam pagar.

Jornalistas, médicos, economistas, advogados e arquitectos deviam ter vergonha na cara e pagar rendas de casa.

Porque o resto do país paga.

E eles não pagam.

E não têm vergonha de me dever dinheiro.

Nem eles nem Pedro Silva Pereira que deve dinheiro à natureza pela alteração da Zona de Protecção Especial de Alcochete.

Porque o Freeport foi feito à custa de robalos e matou flamingos.

E agora para pagar o que devem aos flamingos e ao país vão vendendo Portugal aos chineses.

Mas eles não nos dão robalos suficientes apesar de nos termos esquecido de Tien Amen e da Birmânia e do Prémio Nobel e do Google censurado.

Apesar de censurarmos, também, a manifestação da Amnistia, não nos dão robalos.

Ensinam-nos a pescar dando-nos dinheiro a conta gotas para ir a uma loja chinesa comprar canas de pesca e isco de plástico e tentar a sorte com tainhas.

À borda do Tejo.

Mas pesca-se pouca tainha porque o Tejo vem sujo.

De Alcochete.

Por isso devem-me dinheiro.

A mim e aos 600 mil que ficaram desempregados e aos 600 mil que ainda vão ficar sem trabalho.

E à D. Isabel que vai a esta hora da noite ou do dia na limpeza de mais um escritório.

Normalmente limpa três.

E duas vezes por semana vai ao Banco Alimentar.

E se está perto vai a um refeitório das Misericórdias.

À Sexta come muito.

Porque Sábado e Domingo estão fechados.

E quando está doente vai para o centro de saúde às 4 da manhã.

E limpa menos um escritório.

E nessa altura ganha menos que o ordenado mínimo.

Por isso devem-nos muito dinheiro.

E não adianta contratar o Cobrador do Fraque.

Eles não têm vergonha nenhuma.

Vai ser preciso mais para pagarem.

Muito mais.

Já.


Mário Crespo"





A vida é como Jogo de Bola, para podermos jogar temos de a ter connosco.

terça-feira, 26 de Outubro de 2010

Caros Leitores, estou espasmado que passado 1 ano e alguns meses a critica ao Benfica continue a ser a mesma, nem o facto de ter sido campeão devolveu a magia que todos nós Benfiquistas queremos ver no estádio da LUZ.
Depois da vergonha em solo francês, que mais parecia que estavam aliados aos grevistas, tivemos um jogo "engraçado" com o Portimão. Penso que qualquer outra adjectivação sobre o jogo é impossível, neste momento o Benfica parece um balão sem gás, não tem força, não se movimenta e a velocidade é de uma velhinha de 60 anos (estou a ser simpático).

Esperemos que os próximos sejam um pouco melhor.

Sexta-Feira, lá estei no "terra onde a águia voa mais alto" (literalmente).

segunda-feira, 13 de Abril de 2009

Benfica - Académica

Para voltar às análises desportivas nada melhor que o jogo decepcionante por parte do "nosso" Benfica. Não pretendo "bater" em ninguém, mas para quem esteve no estádio, só pode ter saído com um amargo nada boca. Não há dúvida que esta nova "profissão" de comentador é muito fácil e como é referido no filme "Ratatouille" - "Não somos nós que nos esforçamos para sermos avaliados", assim sendo, vou tentar fazer uma análise pragmática e fria, respeitando sempre aqueles que desempenharam o seu trabalho e não pondo em causa o seu profissionalismo.

Penso que o jogo foi devido em dois processos: 1º tentativa de o Benfica marcar um golo; 2º facilidade com que a Académica fez o golo.

1º Tentativa de o Benficar marcar um golo:
O Benfica teve quatro lances de marcar: bola rente ao poste do David Luiz, bola à trave do Aimar, bola ao poste do Cardozo e golo mal anulado ao Aimar. Num dia se sorte, teríamos ganho 4 a 1. Mas estes lances duram cerca de 10 segundos cada um e a pergunta que eu faço é, e o resto dos 89min e 20 segundos? Pois é, durante este período o Benfica foi uma equipa estática, sem movimentações e sem ideias. A sensação que tive no estádio é que os nosso jogadores só corriam quando tinham a bola a 20 cm e com esta no pé, mas eu sempre ouvi dizer que no Futebol é preciso correr mais sem bola do que com bola.

2º Facilidade com que a Académica fez golo: infelizmente o Miguel Vítor cometeu dois erros, o primeiro foi a infelicidade no toque para canto e o segundo foi a falta de marcação.

Análise Individual:
1. Quim: seguro espectador, não teve muito trabalho e quando foi preciso estava seguro entre os postes
14. Maxi Pereira: é impressionante o que este homem se esforça e corre, não sendo explosivo é um jogador eficaz e com cabeça;
27. Sidney: passou o jogo sempre com os olhos cada vez que precisava de cortar um bola ou fazer um passe, também me pareceu um pouco inseguro (nervoso);
28. Miguel Vítor: cometeu dois erros (canto e falha de marcação para o golo), mas, para uma jogador não muito alto, joga muito bem de cabeça e tem um bom sentido de posicionamento;
23. David Luiz: jogador comparado ao Paolo Maldini com um coração/pulmão gigantesco mas parece que lhe falta tempo para pensar, resultando em exibições de pico (o melhor e o pior no mesmo jogo), muito agarrado à bola;
15. Rúben Amorim: parecia que tinha levado uma injecção de sonolência de tão estático que esteve;
24. Carlos Martins: muito interventivo mas o que tem de melhor não conseguiu colocar em campo, a dinâmica que dá à equipa e o bom remate de meia distância;
6. Reyes: perdido no campo, não conseguia imprimir velocidade nem fazer as diagonais;
10. Aimar: esforce por aparecer mas teve sempre muito apagado do jogo;
21. Nuno Gomes: nunca vi o Nuno tão apagado num jogo, nem tocava na bola;
7. Cardozo: muito esforçado, jogou como ponta de lança e segundo ponta de lança;
9. Mantorras: um cabeçada à Baliza;
11. Balboa: um centro;
20. Di Maria: deambulou pelo campo, mas sempre sem capacidade para fazer a diferença.

Conclusão: parece-me que o Benfica está sempre à espera que exista um momento de inspiração de uma das suas estrelas para resolver um jogo em vez de jogar como um todo para marcarem muitos golos. Devem jogar dependentes um dos outros e não dependentes de um. É caso para dizer:

"Um por todos e todos por um"

segunda-feira, 27 de Outubro de 2008

De volta... às analises

Depois de um interregno de 5 meses decidi voltar a comentar o deporto Nacional, em especial o Universo Benfica.

Esta época decidi, em conjunto com uns amigos, comprar um lugar cativo no Lindo Estádio da Luz, após tantos anos a desejá-lo, finalmente o realizei.
Não há a menor dúvida que ver um espectáculo de Futebol (ou outro desporto) ao vivo é bem melhor que estar sentado no sofá a ouvir os "especialista" da SportTV a fazerem os seus magníficos comentários. Mas na Catedral existe uma magia diferente, que eu não consigo explicar, mas que se sente no ar. Com tanta magia, na zona das bancadas, o relvado fica sem nenhuma, só pode ser, pelos menos ontem, nem a Águia Victoria quis participar em tão pobre espectáculo que foi o jogo Benfica-Naval.
No campeonato Português de Futebol as equipas participantes esquecem-se que os adeptos pagam um bilhete para assistir a um bom espectáculo de Futebol, sendo muitas vezes, o menos importante o resultado. Mas se as demais equipas não percebem, ao menos que o Meu Benfica percebesse que o objectivo tem de ser em dar um bom espectáculo de Futebol, nós queremos um "show de bola", esse sim deve ser o grande objectivo dos treinadores e espectadores.

Aguardo para ver o próximo "show de bola" na Catedral.

segunda-feira, 12 de Maio de 2008

Adeus...Para Sempre


Rui, neste dia em que te despedistes dos relvados é com tristeza e saudade que te agradeço os momentos de mestria que nos proporcionastes ao longo destes 18 anos de carreira profissional.

Obrigado...

terça-feira, 18 de Março de 2008

Pausa

Em meditação...

quinta-feira, 13 de Março de 2008

Sem Glória

O nosso Benfica foi eliminado da Taça UEFA sem glória.

A prometida equipa aguerrida e a jogar à Benfica ficou no banco e assistimos a um jogo forçado dos 11 mais 3 jogadores que sem ideias e sem pernas que não conseguiram fazer melhor.

Infelizmente assisti a mais um jogo em não me dá vontade de bater palmas e se não fosse o meu Benfica estar a jogar mudava imediatamente de canal.

Parece-me, e vou insistir neste ponto até que me seja provado o contrário, que a equipa tem uma enorme falta de orientação técnica e táctica, porque não se sabem movimentar em campo, nem para defender e muito menos para atacar. Não acho que seja falta de qualidade de massa humana, porque os jogadores do Getafe e do União de Leiria não melhores jogadores que os jogadores do Benfica (sem desfazer estas duas equipas), penso que seja falta de estudo da equipa. Será que o Benfica tem alguém que vê e analisa os jogos? Faço esta pergunta porque os erros são sempre os mesmos (marcações de foras, movimentações defensivas e ofensivas, pontapés de cantos e livres, etc).

Desde já, peço desculpa pela minha falta de humildade, ofereço-me a desempenhar esta função no Benfica, só peço é que me paguem o mesmo que recebo no meu trabalho porque tenho contas para pagar, e garanto que no final da época teremos um Benfica bem melhor.

P.S.: tenho a esperança que o Sr. Luís Filipe Vieira ou o Grande Rui Costa venham ao meu blog e me façam um convite...(keep Dreaming).